Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Grupos de Apoio

O QUE É, DE FATO, UM GRUPO DE APOIO?

 

1. CONCEITO


Basicamente Grupo de Apoio é um grupo formado por famílias que praticam Educação Domiciliar para:

1.1. Auxiliarem-se mutuamente na prática dessa modalidade;

1.2. Reunirem-se para realizar atividades educacionais em conjunto;

1.3. Promoverem oportunidades de serviço ao próximo dentro e fora do grupo.
 


2. PRINCIPAIS BENEFÍCIOS

 
Um Grupo de Apoio pode trazer muitos benefícios para as famílias homeschooling. Nós pretendemos aqui falar de três desses benefícios, que consideramos os principais:
 
2.1. O primeiro grande benefício é a IDENTIDADE - À medida em que as crianças vão crescendo é muito comum que elas se sintam meio estranhas, pelo fato de não frequentarem à escola. Afinal de contas os vizinhos vão à escola, os primos, os amiguinhos... Algumas vezes, mesmo bem socializado, seu filho pode se sentir uma espécie de "extraterrestre", e poderá questionar isso em algum momento. Então, um Grupo de Apoio é muito importante nesse momento, onde seu filho pode se relacionar e interagir com outras crianças que também estudam, mas não vão à escola. Isso cria uma identificação, traz um senso de identidade, tanto para você como para os seus filhos.
 
2.2. O segundo grande benefício é a COOPERAÇÃO - Um Grupo de Apoio dá a você e aos seus filhos uma grande oportunidade de poder cooperar com outra ou com outras famílias, seja servindo ou sendo servido, pela riqueza e diversidade de recursos que há nessa relação. A troca de experiências pelo relacionamento entre famílias praticantes é infinita. Isso fortalece as famílias e a educação domiciliar como um todo. Então, não fique isolado. Ajude e busque ajuda. Talvez você tenha filhos pequenos e não sinta necessidade. Mas devemos lhe dizer uma coisa óbvia e natural, que nós pais geralmente nos esquecemos: os filhos crescem. Muitas famílias brasileiras tem procurado a ANED, desejosas de saberem se existem famílias educadoras perto de onde elas residem. Algumas moram em cidades pequenas e, às vezes, são a única família homeschooling da região. Às vezes, viajam muitos quilômetros até a cidade mais próxima, só para se relacionar com outra família. Então, se você tem a dádiva de ter outras famílias educadoras por perto, aproveite!
 
2.3. O terceiro grande benefício é o APRENDIZADO - As famílias que participam de algum Grupo de Apoio sabem o quanto se aprende nos encontros e atividades desse grupo. Não apenas os conteúdos que são estudados e trabalhados, mas principalmente por que as famílias compartilham conhecimento. E assim se beneficiam com as práticas adotadas ou criadas por várias famílias. Experiências que deram certo e que não deram certo também. Isso tudo é puro aprendizado.
 

O ideal é que um Grupo de Apoio seja formado por famílias que morem na mesma região, bairro ou comunidade. Contudo, caso isso não seja possível, funcionará perfeitamente, desde que haja disposição e comprometimento entre os membros do grupo.

 


3. O QUE FAZ UM GRUPO DE APOIO?

 
3.1. Reuniões periódicas para equipar as famílias - As reuniões de um Grupo de Apoio podem ser mensais, quinzenais ou até semanais a depender da disponibilidade de tempo de cada família participante.
 
3.2. Atividades educacionais conjuntas, como por exemplo, Feiras de Ciências, aulas conjuntas, aulas sobre um tema específico, com um especialista. É possível convidar um profissional para dar uma aula. Ou até mesmo um pai ou mãe pode realizar essa atividade. Ex.: Alimentação Saudável, Primeiros Socorros, Higiene Bucal, Eletricidade, etc.
As atividades conjuntas devem acontecer com todas as famílias que fazem parte do grupo de apoio, independente da faixa etária das crianças e adolescentes ou o nível de aprendizado. Lembre-se que não precisamos necessariamente dividir as crianças e adolescentes por faixa etárias. O que podemos diferenciar é o nível de participação de cada criança de acordo com a capacidade de apreensão do conhecimento. É bom salientar que essas atividades devem ser realizadas em lugares fechados, como salões de reuniões, salões comunitários ou até mesmo na residência de uma das famílias participantes.
 
3.3. Atividades conjuntas em locais públicos - Existem outras atividades que são em locais públicos, visitas a parques (temáticos ou não), museus, bibliotecas, exposições, eventos culturais, como apresentações de orquestras, cantatas, peças teatrais, entre outros. É importante que a família educadora seja atenta à agenda cultural da cidade onde mora. Toda cidade tem uma agenda cultural. É claro que ao observar a agenda cultural, os pais devem ter critérios, pois existem eventos que não agregam nenhum valor educacional para as crianças outros são até nocivos. 
 
3.4. Cursos e aquisição de habilidades (cursos de culinária, artesanato, música, decoração, etc.);
 
3.5. Atividades sociais envolvendo toda a família, como festas (Ex.: Natal, Páscoa, Dia do Amigo...), confraternizações, etc.;
 
3.6. Excursões diversas;
 
3.7. Participação em campanhas para levantar fundos para instituições como asilos, orfanatos, abrigos, fundações pró-vida, etc., visando o envolvimento com a comunidade;
 
3.8. Eventos beneficentes, como feira de livros e brinquedos usados, bazares, brechós, campanha do agasalho, etc.

 

Aproveite todas essas atividades para que seus filhos aprendam. Tudo é motivo para o aprendizado. Lembre-se que Educação Domiciliar é educação o tempo todo.

 


4. PREMISSAS DE FUNCIONAMENTO DE UM GRUPO DE APOIO

 
4.1. Todos juntos obtêm resultados melhores do que cada um conseguiria individualmente;

4.2. Todos tem alguma contribuição a dar;

4.3. Todos precisam contribuir de forma comprometida para que haja bom proveito para o grupo;

4.4. Todos precisam contribuir para que a carga seja leve e bem equilibrada;

4.5. Não é preciso ser um profissional da educação para contribuir de forma significativa para o grupo.
 

Um Grupo de Apoio formado em torno de uma única pessoa que ajuda todas as outras, fornecendo dicas, conselhos e direcionamento, NÃO é um Grupo de Apoio. Trata‐se de uma relação unilateral de ajuda. Com o tempo, a tal pessoa poderá ficar sobrecarregada, gerando consequências ruins para ela e para o grupo.

 


5. QUEM PODE PARTICIPAR DE UM GRUPO DE APOIO?

 
Famílias que praticam Educação Domiciliar e estejam dispostas a trabalhar em equipe, voluntariamente e de forma comprometida.


6. COMO DEVE SER A MECÂNICA DE UM GRUPO DE APOIO?

 
A princípio, tudo deve começar com um convite, pois ninguém é obrigado a participar de um Grupo de Apoio. Então é muito importante que cada família participante deseje de fato estar ali. As reuniões periódicas devem ser conforme for melhor para todos ou para a maioria. Na prática, a primeira coisa que deve acontecer é a criação de uma agenda de encontros. Uma ou duas famílias devem ficar responsáveis pela comunicação com o restante do grupo. Essas famílias não estarão liderando o grupo, mas apenas coordenando a agenda das atividades e a comunicação entre o grupo.
 

A(s) família(s) responsável(is) pela comunicação e pela agenda do Grupo de Apoio não deve ficar muito tempo nessa função. Deve haver um revezamento, para que todas as famílias tenham oportunidade de experimentar este serviço, e não apenas uma ou duas.


7. COMO UM PARTICIPANTE DE UM GRUPO DE APOIO PODE COLABORAR?

 
7.1. Participando das reuniões, compartilhando idéias, sugestões e dividindo a carga;

7.2. Buscando se informar e repassando informações aos outros membros do grupo sobre: Promoções e oportunidades pertinentes ao grupo, eventos como concertos e peças de teatro gratuitos, cursos oferecidos por instituições de ensino, palestras, exposições, sites interessantes, bons livros e etc.;

7.3. Hospedando reuniões;

7.4. Participando da organização de excursões, festas e eventos com seus dons e habilidades, e também com equipamentos e materiais disponíveis;

7.5. Compartilhando o que tem e o que não tem funcionado na sua prática diária;

7.6. Cooperando para suprir as necessidades de uma outra família.
 

Existem inúmeras atividades que um Grupo de Apoio pode realizar. Estamos apenas sugerindo algumas delas. Crie, tente, invente a sua!

 


8. NA PRÁTICA O QUE EU PRECISO FAZER PARA O GRUPO DE APOIO FUNCIONAR?

 
8.1. Ter compromisso com o grupo;

8.2. Trabalhar apenas com quem se compromete e contribui;

8.4. Pensar sempre naquilo que você pode oferecer mais do que aquilo que o grupo tem para lhe dar.
 

Lembre‐se sempre de que devemos trabalhar somente com aqueles que se comprometem de forma espontânea. Aqueles que querem de fato contribuir. Não precisamos carregar ou arrastar ninguém.

 
 

ANED

Pela autonomia educacional da família.
©2017 Associação Nacional de Educação Domiciliar

Newsletter

Search